25/06/2011

O prazer de criar Aurora

Eu gosto de escrever na web porque é um exercício de tentativa e erro. Não vou dizer que gostei de todos que escrevi. Mas, não posso deixar de reconhecer que aprendi alguma coisa em cada construção dos personagens. Aurora está sendo pra mim de longe o livro que mais curti criar. Nunca fui fã de mundo da fantasia com um toque de Fantasy, Vampiros, Bruxinhos. Sem poder negar que li e gostei do Crepúsculo. Um dia me perguntei por que o mundo dos livros devia ficar limitado a fatos duros da vida real? – eu tive essa pequena crise existencial como escritora na frente da banca de lançamentos da livraria, na hora do almoço, no centro, folheando as sérias vampirescas. Era mais do que uma simplista vontade de copiar, de querer ser a autora brasileira de séries malucas e sombrias. Isso seria industrial demais. Na realidade, eu me fiz uma pergunta: eu sei e iria gostar escrever dessa forma?

Por isso, comecei dizendo que escrever na web é bom. Não há compromisso com nada, só uma janela pra expor um livro e deixar qualquer um folheá-lo. Se eu não conseguisse, seria mais um livro em que eu tentei alguma nova técnica. Agora, pelo capítulo 17, eu posso dizer que nunca me diverti tanto! Ontem, passei 3 horas escrevendo o capítulo em que Aurora salva Doug dos cachorros mutantes. No ápice da criação, peguei o caderno e comecei a rascunhar o roteiro até o final. Não posso contar aqui...mas, vou deixar uma pitada de revelação. Estou pensando em fazer uma série em que vou contar a estória de cada personagem, interligando as estórias por meio de uma cola que vai unir a todos. Isso descubram lendo. O próximo livro será sobre Gisele, a irmã do Doug, que vai ganhar um papel importante na vida de Aurora nos próximos capítulos reveladores. Esse exercício de fazer vários personagens eu brinquei no livro Beijo de Chocolate. Aprendi nele que talvez seja melhor dar a densidade necessária dividindo em vários livros.

Eu sempre esbarro na falta de tempo. Meu dia a dia é quase de uma máquina. Faço cursos a noite, MBA aos sábados, acordo muito cedo pra malhar quando o dia nem amanheceu, trabalho o dia todo, almoçando às vezes na frente do PC e agora casada tenho que cuidar da casa. Ou seja, escrever com inspiração me dá mais motivação pra tirar todo o tempo vago pra criar o próximo capítulo. Eu realmente me sinto cobrada e compromissada quando as leitoras escrevem que querem logo saber a continuação.
Agora com o lançamento de Amor está no Quarto ao Lado em outubro, sinto que não posso simplesmente parar quando quero. Escrever precisa ser um treino diário olímpico. O que não está sendo difícil com Aurora. O livro está longe da idéia inicial. Aliás, eu começo pensando em uma cena simples e a teia vai se fazendo na minha cabeça tornando tudo mais complexo com o passar da estória. Vou esperando a reação das leitoras.

Eu gosto de escrever ouvindo música e procuro colocar a trilha nos capítulos. É como se pudesse dividir o que se passava na minha cabeça quando a estória se realizava.

Bjs. Li Mendi.

Nenhum comentário: